Andrés se exalta, mantém Carille no Corinthians e passa recado: "Quem quiser sair de férias, avise"

Publicado em 31/10/2019 às 08:58h

Andrés Sanchez em entrevista coletiva no Corinthians — Foto: Reprodução

O presidente Andrés Sanchez foi o único a se pronunciar pelo Corinthians após a derrota por 2 a 1 para o CSA, nesta quarta-feira, em Maceió.

Com o técnico Fábio Carille pressionado, Andrés tomou a palavra e se disse "com raiva". Ele dividiu responsabilidades e deu um recado direcionado aos jogadores.

– Se eu falar que ele continua, vão falar que o que a gente fala não vale. Ele tem contrato até o fim do ano que vem. Hoje está ruim todo mundo, jogador que já quer sair de férias tem que falar. Treinador tem culpa, jogador também. Hoje não quisemos jogar, quem já quiser sair de férias pode sair, não tem problema nenhum – disse Andrés.

– Já vi time perder, mas se entregar não pode, está apático. Quem quiser sair de férias já pode. Todo mundo tem culpa, mas quando ganha ou perde quem joga tem culpa. Não pode ficar neste marasmo – completou.

Claramente incomodado com o momento do Corinthians, que não vence há sete jogos no Brasileirão, Andrés mirou o jogo contra o líder Flamengo, no próximo domingo, no Maracanã.

– Carille está do jeito que eu estou, decepcionado, puto. Lógico que pode vencer o Flamengo, mas jogando essa merda que está jogando não ganha. Temos que jogar mais, não podemos ser apáticos, parece que o time está de férias, e férias é só em dezembro – reforçou.

+ Diretoria se envolve em confusão nos vestiários do Rei Pelé

O presidente também analisou o trabalho de Fábio Carille e deu um conselho ao técnico:

– Carille está como todo mundo, decepcionado, ele tem que reagir, bater forte, nestas horas tem que ter mudança drástica, se não reagir tem que ter mudança drástica. Até na diretoria. Não dá para ter paciência, não tem mais paciência. Nós perdermos do Flamengo é normal, ganhar é normal, mas jogando.

Veja outras frases da entrevista de Andrés:

Desempenho do time

– Cobrança tem todo dia, as pessoas tem que entender que não dá para mudar tudo. Só de todo mundo pedir férias aí colocamos o sub-20. Tem que ter mais gana, não dá para chutar cinco ou seis gols no gol e não ganhar. No futebol brasileiro o que vale é resultado.

Jejum de vitórias

– Faz seis ou sete anos que não ficávamos sem vencer há sete jogos. Se Carille tivesse perdido o vestiário, já tinha saído, lógico que ele tem. Não acho que falte comprometimento aos jogadores, mas a fase está ruim, se o jogador não se doar um pouco mais, vamos seguir na fase ruim. Sete jogos é um absurdo, uma vergonha para mim, para os atletas, para todo mundo, tem que reagir, não dá para ficar assim

Confusão pós-jogo

– Descemos cinco minutos antes e não deixaram abrir o portão. Veio uns seguranças do CSA gritando, dizem que escorregaram, um dos nossos disse que agrediu, e deu a confusão. O problema foi que seguraram a porta, futebol brasileiro tem disso. Fonte: GE


PUBLICIDADE