Encontro com Neto deixa deputados novatos mais animados que veteranos

Publicado em 14/05/2019 às 11:08h

Apesar de ser do time dos veteranos, Alan Sanches ficou satisfetíssimo com encontro com prefeito ACM NetoFoto: Divulgação/Arquivo

A rodada de encontros que o prefeito ACM Neto (DEM) promoveu na semana passada, com promessa de continuidade, com a bancada estadual de oposição deixou os deputados novatos mais animados do que os veteranos. Recebidos pela primeira vez oficialmente pelo prefeito, os parlamentares mais novos ficaram encantados com ele, definidos por alguns ouvidos pelo Política Livre como um autêntico sedutor.

A promessa de mais reuniões com o chefe do executivo municipal e a perspectiva de discutir com ele temas como a próxima sucessão estadual, além da conjuntura nacional, é brandida pelos parlamentares como um verdadeiro troféu. O time mais antigo, no entanto, disse não ter ouvido nada de diferente do que Neto pregava antes da sucessão do ano passado, aquela em que fez que ia, mas não foi.

A idéia do prefeito de montar uma equipe de comunicação para dar suporte a discursos dos parlamentares contra o governador Rui Costa (PT), por exemplo, soou para a maioria como um filme antigo. Nos encontros – primeiro um jantar com os deputados que formam o chamado núcleo duro do prefeito na Assembleia e depois uma reunião com toda a bancada no Palácio Thomé de Souza -, o prefeito destacou a importância de a bancada ser mais aguerrida no combate ao atual governo.

Ponderou que seria uma forma de fortalecer o plano das oposições de tomar o poder em 2022, ano em que pretende disputar a sucessão estadual contra o candidato de Rui Costa, a partir da desconstrução da imagem do governador como bom gestor, atribuída por ele mais a um trabalho da comunicação do que propriamente à realidade administrativa do Estado.

Mas o que a turma mais antiga não gostou verdadeiramente de ouvir na fala do prefeito foi a tese de que não há correlação entre as eleições municipais do próximo ano e a sucessão estadual de 2022, o que, na opinião dele, pelo menos da forma como foi entendido pelos deputados, significaria que não é preciso nenhuma sangria desatada agora para eleger prefeitos, porque nem sempre eles ajudam na disputa pelo governo.

A análise foi entendida como uma mensagem de que os deputados não deveriam contar com a Prefeitura de Salvador para ajudar na eleição de seus respectivos prefeitos em municípios do interior, embora haja divergências em relação ao entendimento. “O que o prefeito quis dizer, como vários exemplos mostram, é que nem sempre os prefeitos eleitos com a perspectiva de ajudar, ajudam, porque muitas vezes fracassam na gestão”, disse o deputado Alan Sanches (DEM).

De concreto, portanto, ficou a promessa de tornar os encontros do prefeito com os deputados regular dentro da estratégia de preparo do prefeito para concorrer ao governo do Estado nas eleições de 2022. Fonte: Política Livre


PUBLICIDADE