Deputada federal do PSL afirma que foi ameaçada por ministro do Turismo

Publicado em 14/04/2019 às 10:55h

A deputada federal Alê Silva (PSL-MG) relatou ‘ameaça a vida’ em depoimento à Polícia Federal / Foto: Najara Araujo/Câmara dos Deputados

A deputada federal Alê Silva (PSL-MG) acusou neste sábado, 13, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, presidente da legenda em Minas Gerais, de tê-la ameaçado de morte e também de prometer acabar com sua carreira política. A parlamentar conta que soube, na última quarta-feira, 10, que ele teria afirmado a alguns parlamentares do PSL que “iria usar de toda a sua influência como ministro e dentro do próprio partido para acabar com ela”.

O ministro nega as acusações (leia mais abaixo). Ao Estado, ela não apresentou provas das possíveis ameaças e disse que foi informada também por interlocutores que Marcelo Álvaro estaria com “ódio mortal” dela após descobrir que foi a congressista que havia passado as informações sobre candidaturas laranjas ao Ministério Público, por meio de uma associação.

“O ódio dele está tão evidente que ele não me chama pelo apelido – Alê –, mas sim pelo meu nome, Alessandra. Isso foi observado por um dos que participaram da reunião”, conta a deputada. Reportagem da Folha de S.Paulo revelou neste sábado, 13, que ela prestou depoimento espontâneo à Policia Federal na última semana, o que foi confirmado pelo Estado.

O Estado apurou com fontes da Polícia Federal que, no depoimento, a deputada falou sobre “ameaça a vida”, o que deixou dúbio sobre se o relato que ela diz ter ouvido era de ameaça a vida parlamentar ou a sua própria vida. Mas todas as acusações estão sendo investigadas. Não há previsão de a PF atuar na segurança de Alê Silva, que, por ser parlamentar, pode requerer proteção à Polícia Legislativa.

Fontes da PF também informam que a deputada não apresentou gravações para comprovar as ameaças. E ressaltam que ela não estava na reunião em que Álvaro Antônio teria feito as afirmações. Mas, embora a deputada não estivesse presente na conversa em que diz que o ministro a ameaçou, a PF entende que é preciso avaliar o contexto das acusações que cercam Álvaro Antônio. Se fosse um fato isolado o peso da acusação seria um, mas como o ministro está no foco de uma investigação o peso do depoimento dela é outro. Fonte: Estadão


PUBLICIDADE