ACM Neto nega desistência de Maia ao Planalto

Publicado em 15/04/2018 às 11:50h

ACM Neto

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), afirmou ontem desconhecer que o pré-candidato da sigla à Presidência, Rodrigo Maia, tenha manifestado intenção de deixar a disputa. “De forma nenhuma”, pontuou em evento no Palácio Thomé de Souza. Segundo ele, o presidenciável deve vir à Bahia no dia 27 de abril, para participar de um evento em Camaçari.  “Falei com Rodrigo ontem, antes de ele viajar para o Panamá. E ontem ainda eu fechei uma estrutura de comunicação digital. Estamos organizando uma agenda de eventos para o pré-candidato Rodrigo. Pelo menos seis grandes eventos nos próximos três meses”, declarou. A data da viagem para a Bahia ainda vai ser confirmada. "Tenho que confirmar com [o prefeito] Elinaldo", adiantou. De acordo com a Coluna do Estadão, Rodrigo Maia (DEM), tem informado a aliados que pretende desistir de concorrer ao Palácio do Planalto. O democrata afirma que vai começar a tratar da sua reeleição para a Câmara Federal. Maia também quer buscar sua reeleição para comandar a presidência da Casa.

A primeira sinalização de que Maia vai desistir da disputa ao Planalto é que ele viajou para não assumir o Planalto com a ausência de Temer do país. Se assumir a cadeira de presidente, ele só poderá concorrer ao Planalto. Segundo o jornal Folha de S. Paulo,  ACM Neto prepara um roteiro de debates sobre princípios e valores do partido em seis capitais até final de junho para dar visibilidade ao pré-candidato da legenda à Presidência. Ao final do giro pelo país, avaliarão a viabilidade de manter uma candidatura própria ou se o melhor cenário será apoiar outro nome na disputa presidencial.

O DEM, que destinará R$ 1 milhão para a pré-candidatura de Maia, quer aumentar a bancada de parlamentares e não descarta a possibilidade de se coligar com o PSDB, que deve levar o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, na cabeça de chapa. A legenda calcula que receberá R$ 90 milhões do fundo eleitoral e, com suas economias, terá R$ 115 milhões para financiar a campanha. Fonte: Tribuna da Bahia / Por Henrique Brinco e Guilherme Reis


PUBLICIDADE