Luana Piovani fala da sua relação com a Globo: “amor e ódio”

Publicado em 10/10/2017 às 11:40h

A atriz e youtuber Luana Piovani conversou com Antonia Fontenelle para o programa “Na Lata”, exibido no canal de Antonia no Youtube. Lá, a loira fez diversas revelações sobre a vida e a carreira de atriz que leva na Rede Globo e no cinema.

Raul Gazolla fala sobre carreira de ator: “Nunca trabalhei na vida”

Sempre me coloquei, é por isso que lá dentro virei um nome não sei se maldito… Mas ao mesmo tempo é curioso porque eles sempre me convidam para fazer coisas. Pra mim as coisas são simples e claras. Existem direitos que me são dados e a culpa não é minha. Houve um sindicato que já disse coisas como tempo de descanso, que te mostram que você vai ter um dia justo e honesto de trabalho. Não sei por que as pessoas se surpreendem quando acaba uma diária e eu agradeço o dia de trabalho, pego minha bolsa e vou embora.  Ou se uma gravação que era pra acabar às 21h, termina às 23h e quando falam que o carro vai me pegar no outro dia às 5h da manhã eu digo que pela lei ele tem que me pegar às 10h. Isso faz com que as pessoas me interpretem como prepotente. Não sou prepotente. Sou potente. Conheço meus deveres e cumpro com eles. Chego no horário, sei meu texto. Agrego artisticamente, sei o tipo de artista que eu sou e isso me dá segurança. Acho que até por isso que sou chamada. Pode haver uma retaliação, mas me imponho. É uma relação maluca de amor e ódio“, disse. 

CLIQUE AQUI E RECEBA ATUALIZAÇÕES DO TV FOCO

Piovani também falou sobre a liberação das drogas. “Aqui no Brasil a gente dá a nossa opinião e nossa vida vira uma confusão. Acho que melhoraria em 100% se a gente tivesse a base do Brasil organizada. Aqui, 90% das pessoas que tem poder são corruptas e tem rabo preso. Isso é a maioria, então nada anda. Num país onde as coisas são organizadas e claras, acho genial [a liberação)]. Acho que a liberação dá uma aliviada porque fica todo mundo aqui gastando lugar de político na cadeia, muito consumidor [de maconha] ocupando lugar de político na cadeia“. Informações adiantadas pelo jornalista Leo Dias


PUBLICIDADE